A adenomiose pode atrapalhar o resultado da FIV?


compartilhe esse post.

A adenomiose é uma enfermidade na qual a camada mais interna do útero, o endométrio, é encontrada dentro do miométrio, que é a parede muscular do útero. Era erroneamente chamada de endometriose interna, pois, de acordo com médicos especialistas em reprodução humana e ginecologia, a adenomiose e a endometriose são doenças distintas.

Na endometriose o tecido endometrial é encontrado em órgãos adjacentes ou na camada externa do útero. Diferentemente da adenomiose já que nesse caso o endométrio permanece dentro do útero, mas atinge uma camada mais profunda. Dessa forma, o diagnóstico e a forma de tratamento de cada doença são diferenciados.

Embora existam diferenças, ambas causam:

  • Desconfortos abdominais;
  • Inchaços;
  • Dores durante as relações sexuais;
  • Cólicas fortes, e
  • Podem afetar diretamente a fertilidade feminina.

(Saiba mais sobre a relação entre a adenomiose e a ferentilidade feminina aqui).

Consequentemente, ao se submeter a um tratamento de reprodução humana assistida, bem como em uma tentativa de gestação natural, uma mulher acometida pela adenomiose pode apresentar dificuldades para engravidar.

Adenomiose e FIV Saiba mais | Mater Prime

Como a adenomiose interfere a FIV?

A relação entre a doença e o sucesso da fecundação, seja por meio de reprodução humana assistida ou pelo processo natural, está diretamente ligada à receptividade do endométrio e, consequentemente, à possibilidade de implantação do embrião na parede uterina.

Visto que a adenomiose é caracterizada pela presença do endométrio na musculatura uterina (chamada de miométrio), ela pode causar infertilidade por falhas na implantação do embrião. Além disso, na maioria dos casos em que a mulher é diagnosticada com adenomiose, ela também apresenta endometriose, que é conhecida atualmente como a principal causa de infertilidade feminina devido às alterações inflamatórias que a presença do endométrio fora do útero pode causar.

Ao decidir realizar um tratamento de reprodução assistida a mulher diagnosticada com adenomiose deve ser submetida a diversos exames solicitados pelo especialista que irá acompanhar o caso, a fim de garantir a escolha da melhor técnica.

Na maioria dos casos o tratamento escolhido é a Fertilização In Vitro associado ao uso de medicamentos reguladores hormonais que auxiliam na implantação durante a etapa de transferência de embriões ao útero. Uma vez que o embrião é implantado, a gestação deve ser acompanhada criteriosamente pelo especialista responsável.

 

A adenomiose prejudica a gestação?

Uma vez que a gestação é acompanhada de perto pelo especialista e desenvolve-se normalmente, a adenomiose não representa problemas à gestante nem ao bebê. A doença pode inclusive diminuir ao longo da gravidez devido ao fato de não existir menstruação durante o período e pela ação da progesterona no útero da gestante.



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI