Chances de sucesso na fertilização in vitro


compartilhe esse post.

Antes de optarem por um tratamento de reprodução humana, normalmente os casais já passaram por um longo período de tentativas de engravidar, sem sucesso. Justamente por já terem passado por estes momentos de frustração, é muito importante estarem cientes que a fertilização in vitro também possui chances de não obter sucesso.

Possibilidade da Fertilização in Vitro

De acordo com pesquisas científicas as chances de concepção natural do ser humano já são baixas, variando entre 18% e 20% por ciclo ovulatório, considerando um casal saudável e em fase reprodutiva. Contudo, existem fatores que diminuem ainda mais essas chances. Para o tratamento de fertilização in vitro não é diferente. Conheça os principais motivos que devem ser levados avaliados para o tratamento dar certo e a importância de cada um.

Quais os principais fatores para a FIV dar certo?

Segundo especialistas em reprodução humana assistida, as chances de sucesso de uma fertilização in vitro dependem basicamente de três fatores:

  • A idade da mulher que irá realizar o procedimento;
  • A qualidade do embrião produzido que por sua vez depende da qualidade do óvulo e/ou do espermatozoide, e
  • A receptividade do endométrio da mulher.

Dentre esses fatores podemos dizer que a idade feminina é o mais importante, visto que pode impactar em todos os demais.

Qual a importância de cada fator para o sucesso da FIV?

A fertilização in vitro consiste na fecundação laboratorial do óvulo, que só é transferido ao útero da futura mamãe depois de se tornar um embrião e ali passa a se desenvolver. Todos os fatores envolvidos no procedimento têm importância.

Como a idade da mulher influencia na FIV?

As mulheres já nascem com uma quantidade de óvulos, diferente dos espermatozoides, que são constantemente produzidos pelo organismo masculino. Ao longo da vida, esta quantidade de óvulos vai reduzindo e, consequentemente, as chances de engravidar também.

Se considerarmos um casal em que a mulher tenha 30 anos, produz embriões de qualidade e realiza um tratamento de fertilização in vitro, podemos dizer que as chances de gravidez são de 60% a 70%. Mais do que as chances naturais. Já aos 42 anos, o mesmo casal possui chances de sucesso que chegam a 10%.

Apesar de ainda estar em idade ovulatória, a qualidade dos óvulos liberados reduz ao longo do tempo, diminuindo também a qualidade do embrião formado após a fecundação.

Qual a relação com a qualidade do embrião para a FIV dar certo?

Para uma gravidez existir, tanto em condições naturais quanto na FIV, além de o óvulo precisar ser fecundado pelo espermatozoide, gerando um embrião, é preciso que esse embrião consiga se implantar no útero feminino..

Para que o embrião consiga se implantar corretamente no útero ele não pode apresentar alterações cromossômicas, conhecidas como aneuploidias, e precisa que o endométrio esteja receptivo a ele. A maioria dos embriões cromossomicamente alterados não implanta no útero, enquanto outros podem implantar, mas a gravdiez não se desenvolve. A minoria dos fetos com alterações cromossômicas chegam a uma gestação a termo, sendo que a própria natureza interrompe a gestação no primeiro trimestre da gravidez na grande maiorias das vezes.

Como a receptividade do endométrio interfere na FIV?

O endométrio (camada mais interna do útero) possui uma janela de implantação, que são dias nos quais ele está mais receptivo à implantação de embriões, devido basicamente à ação da progesterona.

Algumas doenças como trombofilias, doenças autoimunes, presença de miomas na cavidade uterina, pólipos, endometrite e outros fatores também interferem na receptividade endometrial.

Além disso, as as taxas hormonais também são fundamentais para a receptividade do endométrio ao embrião e também para a fertilização in vitro dar certo.



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI