Como o estilo de vida e os fatores ambientais podem influenciar na fertilidade?


compartilhe esse post.

estilo de vida e os fatores ambientais na fertilidade

Quando os casais procuram uma clínica de reprodução humana, vários assuntos devem ser abordados além das possíveis estratégias para o tratamento da infertilidade. É importante que o profissional responsável pelo atendimento forneça informações pertinentes ao caso específico de cada casal e também esclareça todas as dúvidas que possam ocorrer no momento da consulta.

Os casais devem receber o máximo de informações sobre como o estilo de vida e os fatores ambientais podem impactar na fertilidade. O Dr. Giuliano Bedoschi, da clínica de reprodução humana Mater Prime, explicou quais são os fatores que devem ser considerados pelos casais que querem engravidar:

Como a obesidade afeta a fertilidade?

O sobrepeso e a obesidade são fatores que influenciam a fertilidade tanto do homem quanto da mulher. O sobrepeso é caracterizado por um índice de massa corporal (IMC) entre 25 e 29,9Kg/m², enquanto a obesidade ocorre quando há um IMC acima de 30 Kg/m².

Nas mulheres a obesidade e o sobrepeso (este segundo em menor grau), podem estar associados a problemas como:

  • Disfunção menstrual;
  • Fertilidade diminuída;
  • Riscos aumentados de aborto espontâneo;
  • Complicações obstétricas e neonatais.

Nos homens a obesidade e o sobrepeso (este segundo também em menor grau), podem ser relacionados com alterações nos parâmetros do espermograma e, em alguns casos, podem afetar a fertilidade.

O médico especialista em reprodução humana deve orientar o casal a buscar hábitos de vida saudáveis (exercícios físicos e dietas). Essas medidas podem aumentar as chances de gravidez espontânea e também dos tratamentos de reprodução assistida.

O tabagismo diminui chances de gravidez?

O tabaco é uma das substâncias nocivas mais consumida no mundo e pode influenciar negativamente a fertilidade do homem e da mulher. Os efeitos nocivos do tabagismo durante a gravidez no desenvolvimento do feto já são amplamente conhecidos. Infelizmente as informações sobre o impacto negativo do tabagismo na fertilidade das mulheres e dos homens não são do conhecimento de todos Alguns estudos apontam uma maior prevalência de infertilidade entre as mulheres fumantes, com uma fecundabilidade mais baixa e maior tempo para concepção. Estes fatores também serão influenciados pela quantidade de cigarros fumados por dia.

fecundabilidadeAlém dos malefícios causados pelo tabagismo ativo, as mulheres que são fumantes passivas (convivem frequentemente com pessoas que fumam) também podem ter o comprometimento da fertilidade, visto que estudos revelam que as mulheres nessas situações apresentam os mesmos efeitos colaterais que as fumantes, com prejuízos em menor grau, mas ainda existentes.

O Dr. Giuliano Bedoschi destacou um estudo de metanálise envolvendo uma compilação de 12 outros estudos sobre o tema. Neste trabalho constatou-se um risco de infertilidade entre as fumantes 60% maior do que entre as não fumantes.

O consumo de álcool reduz as taxas de sucesso para gravidez?

O consumo excessivo de álcool pode afetar a fertilidade entre as mulheres e nos homens está relacionado com diminuição da qualidade do sêmen e com a impotência sexual.

Já o consumo moderado de álcool ainda causa muitas divergências. Os estudos não apontam malefícios em grau elevado para quem consome bebida alcoólica moderadamente, como uma taça de vinho por semana, por exemplo.

O Dr. Giuliano Bedoschi alerta que o consumo moderado de álcool está relacionado com diminuição das taxas de gravidez em casais que realizam tratamentos de reprodução humana, sendo indicado que os mesmos interrompam totalmente o consumo de álcool durante este período.

O consumo moderado de cafeína prejudica a fertilidade?

A ingestão moderada de cafeína também não está relacionada com problemas de fertilidade. A quantidade considerada adequada é de até 250 miligramas por dia, ou seja, cerca de duas xícaras pequenas de café/expresso. Já um consumo diário superior a essa quantidade pode resultar em problemas como atraso na concepção e também aumentar os riscos de aborto espontâneo.

Ao procurar um especialista em reprodução humana o casal deve informar no histórico médico sobre o consumo de café, chá com alta concentração de cafeína e energéticos.

Como as substâncias nocivas interferem na gestação?

Entre as substâncias nocivas que causam prejuízos para pessoas que tentam engravidar estão a maconha e a cocaína. A maconha inibe a secreção do GNRH, hormônio liberado pelo cérebro e que, tanto no homem como na mulher, está relacionado com a função reprodutora. Dessa forma o consumo de maconha pode prejudicar a fertilidade em ambos os parceiros, além de interferir na ovulação da mulher em alguns casos. A cocaína pode prejudicar a formação do espermatozoide nos homens e causar doença tubária nas mulheres.

Fatores ambientais afetam a fertilidade?

Além do estilo de vida do casal, os fatores ambientais também são relevantes para determinar problemas de infertilidade. Sendo assim, na avaliação realizada na clínica de reprodução humana deve ser considerado o ambiente de trabalho de cada um dos parceiros, pois o contato com algumas substâncias pode influenciar diretamente os problemas para engravidar e a fecundabilidade diminuída, como:

  • Percloroetileno (usado em procedimentos de lavagem a seco);
  • Tolueno (usado em impressão);
  • Óxido de etileno;
  • Solvente;
  • Herbicidas ou fungicidas (diminuem fertilidade e aumentam risco de aborto espontâneo);
  • Homens expostos a calor radiante ou metais pesados aumentam riscos de anormalidades no sêmen.

Dessa forma, o casal que deseja realizar um tratamento de fertilidade deve receber informações sobre os fatores ambientais e sobre o estilo de vida para otimizar as chances de gravidez espontânea e para aumentar as chances de sucesso em tratamentos de fertilidade. 



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI