Especial mês da mulher – A alimentação durante a gestação


compartilhe esse post.

Gravidez saudável

O grande erro das gestantes é achar que a frase “comer por dois” quer dizer quantidade quando na verdade quer dizer qualidade.
Após o 7º ao 10º dias da fecundação o sangue da mãe começa alimentar o filho, sendo a partir desse período a grande responsabilidade da gravidez: em adquirir uma boa alimentação. É importante que a gestante tenham uma nutrição alimentar equilibrada e que seu ganho de peso seja controlado de acordo com seu biótipo e necessidades individuais, mas cada mulher tem um organismo e só seu obstetra ou um nutricionista poderá recomendar uma dieta específica. Portanto, o que vale para uma não vale, necessariamente, para a outra.

 

Em consequências dos enjôos recorrentes nos primeiros meses da gestação, manter uma alimentação adequada se torna uma tarefa difícil nesse período, mas é importante que a futura mãe se esforce e se alimente no mínimo a cada três horas, seguindo a mesma dieta durante toda a gravidez. Os especialistas recomendam uma alimentação bastante variada e colorida, incluindo porções diárias de pães e cereais, de preferência integrais, frutas, legumes e verdura. Além disso, carnes, leite e derivados é importante sempre variar para obter os mais diversificados minerais e vitaminas que a mamãe e o bebê precisam. Não se esquecendo de beber pelo menos dois litros de água por dia.

 

alimentação gestação

 

Quais alimentados e bebidas a serem evitados?

Todos os nutrientes têm sua função e é essencial para o desenvolvimento do bebê como para a saúde da mãe. Como por exemplo, o cálcio e a vitamina D devem ser reforçados no terceiro trimestre já que o bebê começa a esgotar a reserva da mamãe. Necessário para a formação óssea (dentes e ossos), auxilia na contração muscular e batimentos cardíacos. Para a mãe, ela precisa para manter as unhas fortes, os dentes sem cáries, evitar gengivite, câimbras e ajuda na produção de leite após o parto. Já os carboidratos, fornecem energia para a mãe e para o desenvolvimento do bebê. Importante verificar com seu médico sobre os nutrientes necessários para a sua gestação.

 

Entretanto não são todos os alimentos que são recomendando nessa fase. Para isso a Mater Prime criou uma relação de alimentos que devem ser evitados durante a gestação.

 

Presunto – é aconselhável as mulheres grávidas a não comerem carnes cruas (frios), como salame, chouriço e peixes defumados, pelo risco de conterem bactérias nocivas como a Listeria.

 

Álcool – não existem níveis seguros de consumo de álcool durante a gestação.

 

Suplementos de ervas – verifique com seu obstetra se pode fazer uso de qualquer suplemento de ervas ou vitaminas. Algumas delas podem ser prejudiciais para o feto em desenvolvimento.

 

Patês – deve evitar todos os tipos de patês, até mesmo os vegetais, pois eles podem conter a bactérias Listeria.

 

Sorvete caseiro – como são preparados com ovos crus, que podem conter bactérias Salmonella, deve-se evitar seu consumo.

 

Ovos crus – evite alimentos que contenham ovos crus, até mesmo mousses, tiramisu e maionese caseira. Certifique-se de que os ovos estão bem cozidos, observando se às claras e as gemas estão sólidas.

 

Embutidos – carnes defumadas não cozidas, como bacon, presunto e mortadela, devem ser evitados.

 

Ostras – evite peixes e frutos do mar crus, especialmente ostras e amêijoas, pois podem estar contaminados por vírus e bactérias nocivas que causam intoxicação alimentar.

 

Doces – a ingestão excessiva de açúcares e doces durante a gravidez pode aumentar o risco de desenvolver diabetes gestacional.

 

Leite não pasteurizado e derivados – não beba leite cru (não pasteurizado) ou qualquer alimento derivado, incluindo o leite de cabra e ovelha. Se apenas o leite cru estiver disponível, ferva-o primeiro.

 

Fígado – evite fígados ou produtos derivados, como patê fígado ou salsicha de fígado, pois podem conter uma grande quantidade de vitamina A. Sendo o excesso prejudicial ao bebê.

 

Peixes – peixes contaminados por mercúrio, como atum, peixe-espada e cavala, devem ser evitados. Excesso de mercúrio pode causar danos ao sistema nervoso em desenvolvimento do seu bebê.

 

Café – Deve haver um limite de consumo de cafeína, no máximo quatro xícaras pequenas. O excesso está associado ao nascimento de bebês com baixo peso e abortos espontâneos.

 

Durante a gravidez muitas mudanças ocorrerão, por esse motivo não deixe de comparecer as consultas médicas para sanar toda e qualquer dúvida, inclusive no que diz respeito à nutrição, e lembre-se que a alimentação da mãe é a mesma do bebê.

 

Para entender ainda mais sobre o assunto, veja o vídeo abaixo



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI