FIV para quem realizou métodos contraceptivos definitivos


compartilhe esse post.

Não são poucos os casos em que o homem ou a mulher optam por um método contraceptivo considerado definitivo, como a vasectomia e a laqueadura, e após passado um determinado período desejam ter filhos novamente. Apesar de existirem técnicas de reversão de vasectomia, assim como de laqueadura, em alguns casos o especialista em reprodução humana consultado acaba indicando um tratamento de fertilização in vitro para o casal.

Muitas pessoas chegam até os consultórios e clínicas de reprodução humana buscando uma forma de reverter a laqueadura ou a vasectomia. Esses são procedimentos possíveis por meio de técnicas específicas de reversão, que possuem taxas altas de dar certo. A reversão de laqueadura, por exemplo, apresenta uma taxa de sucesso que varia entre 50% e 80%.

No entanto, em alguns casos, tanto o especialista quanto o casal concluem que optar por uma outra técnica de reprodução assistida pode acarretar em maiores chances de conceber a gravidez. O tratamento ideal para esses casos é a FIV – Fertilização In Vitro. A inseminação artificial não pode ser realizada nos casos de vasectomia ou laqueadura, pois o encontro dos óvulos com os espermatozoides deve ser realizado fora do organismo, ou seja, no laboratório.

FIV para contraceptivos definitivos

Em quais casos a FIV é indicada em vez da técnica de reversão?

Quando um casal, que deseja engravidar com o auxílio de técnicas de reversão de métodos contraceptivos definitivos, busca pela orientação de um especialista, existem algumas condições a serem analisadas antes de afirmar se a técnica de reversão é o tratamento ideal para o casal.

Para a reversão de laqueadura existem algumas questões a serem consideradas. São elas:

  • Idade da mulher acima dos 35 anos;
  • Há quanto tempo realizou a cirurgia, e
  • Local das tubas uterina em que foi realizada a laqueadura.

Para a reversão de vasectomia, além das questões relacionadas à idade do homem e ao tempo que foi realizada a interligação dos canais deferentes, existem outros motivos que podem ser decisivos para o casal realizar a reversão ou optar por outro tratamento de reprodução humana, principalmente quando existe uma grande expectativa envolvida. São elas:

  • O tempo que os espermatozoides levam para serem novamente considerados viáveis à uma fecundação pode variar de 6 a 12 meses;
  • Uma gestação natural após a reversão de vasectomia pode demorar cerca de 18 meses para acontecer;
  • A taxa de sucesso dos casos em que a reversão de vasectomia foi realizada varia de 20% a 80%.

Nos casos de tempo de vasectomia acima de 15 anos, a taxa de sucesso da reversão é de apenas 20%, enquanto nos casos abaixo de 5 anos, a taxa chega a 80%. Se a esposa tiver mais de 37 anos, a chance de gravidez espontânea é baixa e nesse caso o tratamento indicado é a fertilização in vitro.

Todos esses itens são fundamentais para orientar qual a melhor técnica de reprodução humana para o caso, seja devido às condições férteis do casal ou em relação à ansiedade com uma nova gravidez.

Nas situações em que o especialista identifica que a fertilidade do casal poderá comprometer a futura gestação, o tratamento mais indicado é a fertilização in vitro. A FIV possui diversas vantagens, como promover a fecundação em laboratório e a transferência de mais de um embrião, que potencializam as chances de gestação. Em todo caso, a decisão sobre o tratamento deve ser feita sob a orientação do especialista juntamente com o casal.

Agende sua consulta



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI