Histerossalpingografia

onde fazer histerossalpingografia

A histerossalpingografia nada mais é do que um raio-x contrastado que permite a visualização da cavidade uterina e das tubas (trompas), afim de detectar possíveis anomalias ou interrupções das tubas.

Esse exame é de fundamental importância para a avaliação do casal infértil. Apesar de ser antigo, ainda constitui a melhor forma de avaliação das tubas uterinas. Através da histerossalpingografia, avaliamos a permeabilidade, formas, posição e se há retenção de contraste nas tubas, o que indica interrupção completa ou parcial da passagem do contraste, que pode impedir o encontro do óvulo com o espermatozoide. Também pode ser diagnosticado presença de alterações na cavidade uterina, como:

  • Pólipos
  • Miomas submucosos
  • Sinéquia uterina (quando uma parede da cavidade uterina se gruda a outra)

Como é o exame de Histerossalpingografia?

histerossalpingografia resultadoNesse exame são realizadas diversas imagens seriadas de raio-x durante a injeção do contraste iodado (a base de iodo) através do canal do colo do útero com o auxílio de uma sonda flexível.

Após a injeção do líquido e a obtenção das imagens, retira-se então o cateter (sonda) e a paciente deve andar. Após alguns minutos novo raio-x é realizado na pelve para a observação da dispersão do contraste pela cavidade abdominal.

A histerossalpingografia deve ser realizada entre o 6º e o 12º dias do ciclo menstrual, pois nesse período geralmente a menstruação já acabou e é antes da ovulação, tendo a certeza de que a paciente não está grávida.

Onde fazer?

A histerossalpingografia é realizada em alguns laboratórios específicos e não é realizada nas Clínicas de Reprodução Humana.

Figura 1. Exemplos diversos de histerossalpingografia.

resultado do exame histerossalpingografia

Figura 2. Esquema do preparo para o exame.

histerossalpingografia resultado exame

 

 

 

 

 

 

 

Figura 3. Exame normal, mostrando tubas finas, com boa dispersão do contraste.

histerossalpingografia

 

 

 

 

 

 

Resultados da Histerossalpingografia

Muitas vezes, o contraste mostra que as tubas estão abertas, porém as mesmas podem estar dilatadas ou tracionadas para cima, denunciando que pode haver alteração de sua função, embora esteja passando o contraste para a cavidade abdominal. Essas alterações visualizadas sugerem sequelas de alterações ginecológicas, como:

  • Endometriose;
  • Moléstia inflamatória pélvica;
  • Tuberculose genital;
  • Aderências pós-cirúrgicas.

O resultado do exame é um verdadeiro divisor de águas entre os tratamentos de reprodução humana. Se o resultado for considerado normal os tratamentos podem ser de menor complexidade (“in vivo” – a depender da ausência de fator masculino grave), e nos casos de alterações, estão indicados os tratamentos mais complexos (“in vitro”). Para o sucesso dos tratamentos de baixa complexidade (namoro programado e inseminação artificial), é fundamental que pelo menos uma tuba esteja em boas condições de funcionamento.

Fatores Femininos

 

Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI