Ultrassonografia Transvaginal

 

Ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal também é um exame fundamental na pesquisa de fatores femininos de infertilidade, uma vez que analisa as partes internas do trato reprodutor feminino.

Por meio da ultrassonografia é possível avaliar diversas alterações uterinas como:

  • Miomas;
  • Adenomiose;
  • Pólipos endometriais;
  • Malformações uterinas.

Além disso, os aspectos dos ovários e das tubas uterinas também são avaliados, quando há presença de hidrossalpinge, por exemplo.

Ovários

Nos ovários, avalia-se presença de cistos patológicos, como o endometrioma (endometriose no ovário) ou tumores ovarianos. Além dessas avaliações, o ultrassom transvaginal também é um marcador indireto da reserva ovariana.

Tratamentos para infertilidade | Ultrassonografia | Mater Prime

A contagem de folículos na fase folicular inicial (primeiros dias do ciclo menstrual) demonstra a quantidade de possíveis folículos que podem ser estimulados durante o tratamento de estimulação ovariana para a inseminação artificial ou a fertilização in vitro. Quanto mais jovem for a mulher, teoricamente, maior o número de folículos ovarianos.

A contagem dos folículos antrais (cada folículo contém um óvulo dentro) é um importante marcador de reserva ovariana.  Também a contagem do número de folículos é um dos marcadores para o diagnóstico da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), mas alterações isoladas na ultrassonografia não é suficiente para o diagnóstico dessa síndrome.

Durante o período ovulatório, a ultrassonografia mostra o folículo dominante e quando o folículo atinge um tamanho de 18mm a 20mm de diâmetro, está próximo de romper e liberar o óvulo que será captado pela tuba uterina. Após a ovulação, ocorre a formação do cisto de corpo lúteo, que ao ser visualizado ao ultrassom também mostra que houve ovulação.

Portanto, dependendo da fase do ciclo menstrual em que o exame é realizado, observaremos aspectos diferentes dos ovários.

Útero

O aspecto do endométrio também é importante para analisar a capacidade reprodutiva da mulher. Durante a fase folicular, o endométrio se espessa e tem um aspecto trilaminar característico dessa fase. Após a ovulação, por ação da progesterona, o aspecto é diferente, tornando-se hiperecogênico (mais branco ao ultrassom). A espessura ideal do endométrio para implantação do embrião varia entre 7 mm a 14 mm. Mulheres que apresentam endométrio fino (abaixo de 6mm) no período de implantação (de 5 a 7 dias após a ovulação) têm menor chance de gravidez.

Caso o endométrio apresente alterações em sua formação a mulher pode ter dificuldades para engravidar porque o embrião não se implanta corretamente no endométrio (camada interna do útero) e assim, mesmo com o encontro do óvulo com o espermatozoide, não ocorre a gestação. Também pode ser visibilizado estruturas dentro da cavidade endometrial, tais como pólipos ou miomas submucosos. Quando presentes, esses devem ser retirados cirurgicamente, pois dificultam a gestação e aumentam o risco de aborto espontâneo. Os miomas e a adenomiose são alterações na camada muscular do útero e podem ser diagnosticados através da ultrassonografia.

Na suspeita de endometriose profunda, a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal é um exame importante para identificar os locais de endometriose. Atualmente, esse exame apresenta acurácia semelhante ao exame de ressonância magnética na investigação de endometriose.

 

Quando realizar o exame de ultrassonografia?

Exame de ultrassonografia | Mater Prime Quando o casal encontra dificuldade para engravidar naturalmente é importante a busca pela ajuda médica especializada, uma vez que apenas um profissional da saúde habilitado poderá apontar a causa da infertilidade e o tratamento adequado para realizar o sonho do casal ter filhos. Na investigação da infertilidade, o ideal é realizar a ultrassonografia nos 3 períodos do ciclo menstrual:

  • Fase proliferativa (primeiros dias do ciclo);
  • Fase ovulatória;
  • Fase secretora (após a ovulação).

Cada exame vai fornecer informações diferentes e complementares sobre o aparelho reprodutor feminino.

 

 

Saiba mais sobre SOP

 

Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI