Perguntas Frequentes

A Mater Prime é uma clínica de reprodução humana especializada em tratamentos de infertilidade tanto femininos, quanto masculinos. A clínica realiza procedimentos de fertilização e reprodução assistida.

A Mater Prime possui profissionais capacitados e especializados em reprodução humana, obstetrícia e ginecologia. Além de um atendimento humanizado e com pessoas preparadas para atender de forma prestativa e rápida. A equipe de médicos é formada pelo Dr. Giuliano Marchetti Bedoschi e pelo Dr. Rodrigo da Rosa Filho.

A Mater Prime oferece diversos tratamentos de fertilidade feminino e masculino, são eles: Namoro Programado (Coito Programado); Fertilização a baixo custo – Programa Acesso; Doação Temporária de Útero; Reversão de Laqueadura; Reversão de Vasectomia; PGD/CGH; Assisted-Hatching; Programa de Ovorecepção; Programa de Ovodoação; Mini-FIV; e Super – ICSI.

Caso queira fazer contato com a Mater Prime para uma consulta ou tratamento, temos três unidades em São Paulo:

  • Unidade Alphaville - (11) 2135-0150
  • Unidade Bela Vista - (11) 4872-3555
  • Unidade Av. Moema (Moema) - (11) 4323-4462
  • Unidade Tuim (Moema) - (11) 4872-3555

A infertilidade é caracterizada por tentativas de engravidar por um período de 12 meses sem atingir sucesso. Sendo que, neste período não esteja sendo ministrado nenhum método contraceptivo. Caso você esteja tentando engravidar a esse tempo ou mais é indicado a procura de um especialista.

A infertilidade não possui uma causa específica e pode ser resultante de herança genética, maus hábitos como o uso de drogas, álcool e cigarro ou o desenvolvimento de doenças. Outros fatores que interferem na fertilidade são o peso, tratamento para doenças, como o câncer.

No caso das mulheres é frequente que a infertilidade esteja relacionada com disfunções na ovulação, nas trompas ou no útero e endometriose.

Sim. Existe a possibilidade de tratamento por meio do uso de remédios por via oral, como no caso de mulheres com a síndrome dos ovários policísticos, onde remédios são ministrados para induzir a ovulação. Antibióticos também podem ser usados para tratar alguns tipos de infertilidade.
Além deste tipo de tratamento, também é viável realizar tratamentos de fertilização como a FIV, reprodução assistida e outros, que, em alguns casos, conseguem reverter os problemas de fertilidade.

A inseminação artificial, conhecida também como ou inseminação intrauterina (IIU), consiste em uma técnica de reprodução assistida na qual é depositado o sêmen dentro da cavidade uterina. Considerada uma técnica de baixa complexidade, pode ser realizada inclusive no próprio consultório.

A inseminação artificial é um procedimento onde o sêmen é inserido dentro a cavidade uterina da mulher e a fertilização ocorre dentro da tuba uterina, como acontece em uma gestação natural. No caso da fertilização in Vitro, a fertilização ocorre em laboratório e o embrião já fecundado é transferido para o útero.

A fertilização in Vitro é um tratamento indicado para diferentes tipos de infertilidade tanto masculina quanto feminina. A FIV pode ser considerada pelo casal após um ano de tentativas malsucedidas de engravidar e após procurar um médico especialista que poderá examinar as reais causas da infertilidade. No caso de reversão de vasectomia sem sucesso, a FIV também pode ser uma opção para voltar a gerar filhos.

O ideal é que o especialista peça alguns exames que serão capazes de identificar qual a causa da infertilidade. Esses exames são diferentes nos homens e nas mulheres. Entre os homens incluem: espermograma, dosagem hormonal e ultrassom transretal e escrotal. Entre as mulheres os exames incluem: exame ovulação, histerossalpingografia, dosagem hormonal, reserva ovariana, cariótipo e ultrassonografia pélvica.

O tratamento para fertilidade não envolve procedimentos cirúrgicos, no entanto, pode ser necessária a realização de punção tanto no homem quanto na mulher para a coleta de material genético dos ovários e dos testículos, dependendo do tratamento indicado.

Após um ano de tentativas de engravidar sem sucesso pode ser considerado que existe a infertilidade conjugal, sendo que não seja utilizado nenhum método contraceptivo durante este período.
Para mulheres acima de 35 anos ou pessoas que já tenham apresentado dificuldade para contracepção, a infertilidade pode ser considerada após 6 meses de tentativas.

A vasectomia possui reversão, com a recanalização dos ductos deferentes, permitindo novamente a passagem dos espermatozoides junto com o sêmen. O sucesso do procedimento, no entanto, com possibilidade de gestação natural após a reversão, irá depender do tempo que foi feito a vasectomia. Quanto mais tempo do procedimento, mas difícil será a reversão.

A laqueadura pode ser revertida com um procedimento microcirúrgico conhecido como reanastomose cirúrgica das porções das tubas uterinas seccionadas nas ligaduras tubáreas. Por ser um procedimento complexo, a taxa de sucesso da reversão varia entre 50% e 80%, no entanto, é possível realizar a FIV para uma gestação, sendo necessário consultar um especialista.

Não há nenhuma relação entre o uso do anticoncepcional por um longo período com a possibilidade de infertilidade. Especialistas acreditam, no entanto, que o uso de anticoncepcional possa mascarar algumas doenças, como a síndrome de ovários policísticos, e apenas após a mulher interromper o uso do medicamento irá identificar o problema. O anticoncepcional afeta apenas a produção mensal de óvulos e, portanto, o correto é que um mês após parar com o uso a mulher seja capaz de fecundar naturalmente.

A endometriose é uma doença ginecológica feminina onde as células que normalmente recobrem a parede interna do útero são encontradas fora da cavidade uterina. A doença está normalmente associada a infertilidade, sendo que entre 30% e 50% das mulheres inférteis apresentam esse problema.

A síndrome de ovários policísticos causa alterações hormonais onde a mulher não consegue engravidar de forma natural, pois ocorre a ausência de ovulação, fazendo com que o ciclo menstrual da mulher seja irregular e muitas vezes só ocorre com o uso de medicamentos. A micropolicísticos (SOP) como também é conhecida atinge entre 6% e 10% das mulheres em idade reprodutiva.

O tratamento de infertilidade tem custos variados dependendo de vários fatores como o procedimento escolhido para cada caso, o sucesso do procedimento e a quantidade de tentativas necessárias para o sucesso da gravidez. O indicado é que o casal procure um médico especialista e descubra as causas da infertilidade e os possíveis tratamentos.

Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI