Tenho embriões congelados, quais são as minhas chances de engravidar?


compartilhe esse post.

 embriões congelados

Segundo estudos recentes, os casais que possuem embriões congelados podem apresentar suas chances de gravidez aumentadas. Isso porque, ao analisar casos de gestações decorrentes da reprodução assistida, ficou comprovado que os embriões congelados possuem mais eficácia e segurança que os frescos.

Além disso, o processo de congelamento pode ainda ser melhor e mais adequado para a saúde da futura mãe e, respectivamente, do bebê também. Os embriões congelados não perdem suas características e podem ser utilizados por aqueles que já tentaram e querem optar por um outro método.

O sucesso no uso de embriões congelados em detrimento dos frescos se dá porque quando há a estimulação do ovário, a mulher apresenta níveis elevados de estrogênio e progesterona (hormônios sexuais, da classe dos esteróides, produzido pelos folículos ovarianos), o que pode tornar o endométrio inadequado para a fixação do embrião e consequente gestação.

Por outro lado, quando não ocorre a estimulação do ovário e apenas o endométrio é preparado, as chances de sucesso aumentam, uma vez que não há a interferência desses hormônios.

Quais são as principais vantagens do congelamento?

Especialistas de diferentes países do mundo, analisaram todo o procedimento e puderam concluir que ao realizar a fertilização in vitro com embriões congelados, o índice de sucesso para engravidar é maior. O congelamento de embriões oferece muitos benefícios que devem ser levados em consideração. Confira a seguir os principais deles:

  1. Menores taxas de abortamento
  2. Maiores taxas de gravidez
  3. Menor chance de hemorragia
  4. Aumento das taxas de implantação

A maior desvantagem do congelamento é o aumento do custo total do tratamento, que deve ser pesado antes da realização do tratamento.

O nosso conselho aos casais que procuram tratamentos de reprodução assistida é que o congelamento dos embriões não seja realizado rotineiramente e sim em condições específicas que possam aumentar as chances de gravidez ou evitar complicações do tratamento de reprodução assistida, tais como:

  • Risco de hiperestímulo ovariano
  • Aumento dos níveis de progesterona (dosados antes do gatilho da ovulação)
  • Endométrio desfavorável para implantação do embrião
  • Uso incorreto dos medicamentos de suporte da fase lútea
  • Uso dos análogos do GnRH como gatilho da ovulação

Sendo assim, o congelamento de embriões é uma opção válida e em alguns casos até recomendada para os casais que desejam aumentar as chances de sucesso do tratamento.

 



Redes Sociais

Confira as novidades da Mater Prime nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.


© 2015 - Desenvolvido por WSI